Urucará ganha cooperativa de pesca


A homologação da Cooperativa Agrícola e Pesca de Urucará (Aquicoopesca) representa uma conquista histórica à economia do município e do Médio Amazonas. Isto porque o projeto de criação de peixe em cativeiro, iniciado na cidade, norteou todos os outros casos de sucesso do segmento.

"Esse início significa o resgate da cultura no município. Com a autonomia da cooperativa, em parceria com a prefeitura, ficamos isentos de qualquer manobra política inviabilizar o projeto. Então, o termo de cessão de uso, que será celebrado entre a prefeitura e a cooperativa, é para garantir nosso futuro", afirmou o cooperado, Matheus Garcia.

O resgate do projeto, é parte de um plano maior: o polo de desenvolvimento psicultor do Médio Amazonas. O objetivo é vitalizar também outros municípios da calha como: Parintins, São Sebastião do Uatumã, Boa Vista do Ramos, Silves e Itapiranga. Fruto da parceria entre a prefeitura de Urucará e a Aquicoopesca, em regime de comodato, próximo da segunda fase de implantação, e com financiamento da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), deve concluir o laboratório técnico. Com ele, será possível produzir as próprias matrizes de tambaqui e matrinxã no municipio, ao depender de doações. Este novo modelo de gestão traz autonomia aos trabalhadores envolvidos.

São 31 cooperados entre agricultores, psicultores e comerciantes, todos com grandes expectativas. A  psicultora hoje é segmento forte dentro do estado. "Com a reprodução de alevinos dentro de Urucará,  nós entraremos para a história da economia do Amazonas", reafirmou Matheus.

Ao homologar a Aquicoopesca, o Sistema OCB/Sescoop-AM, traz segurança a quem investir neste negócio no Médio Amazonas.

"Com o CNPJ definitivo, a cooperativa pode operar no mercado. Com nosso apoio de avaliação participativa de cenário, a Aquicoopesca deve buscar todo apoio necessário para colocar em funcionamento toda a infraestrutura que está sendo repassada em comodato pela prefeitura de Urucará. Entendo que eles possam produzir o peixe e colocá-lo no mercado com qualidade e preço acessível a população", definiu Petrúcio Magalhães Jr., presidente do sistema OCB/Sescoop.

Fonte: www.cooperativismo.org.br

Nenhum comentário