Fornecedores e funcionalismo denunciam prefeitura de Boa Vista do Ramos

   Antonio Raimundo Andrade Rodrigues, 44 foi exonerado pela atual administração de Elmir Lima Mota, prefeito do município de Boa Vista do Ramos, mesmo sendo funcionário efetivo da prefeitura há seis anos. Antonio declarou que em 1992 foi contratado como professor da Zona Rural. Nos dias atuais, assumiu o cargo de segurança, até o dia em solicitou a licença prêmio, direito garantido para servidores que tem cinco anos de trabalho no setor público.
  “Procurei a prefeitura e solicitei minha licença normalmente. Minutos depois fui chamado pela secretária de governo, Zélia Goiana, que me apresentou a carta de exoneração do cargo. Questionei e não assinei o documento por acreditar que não estão sendo corretos. A cidade parece que está sem lei, o prefeito faz o que quer, tenta enganar as pessoas. Procurei o Ministério Público e agora estou aguardando o resultado”, declarou confiante Antonio que ainda acrescentou, que seu irmão Abrãao Andrade Rodrigues passa pelo mesmo constrangimento.

   Há três meses sem receber os vencimentos, desde o anúncio da exoneração, Antonio passa por dificuldades financeiras, está endividado, se diz injustiçado por perseguição política. Com um pequeno comércio em uma das principais ruas da cidade, amarga a falta de investimento para manter o comércio funcionando e abastecimento. “A administração do prefeito Elmir não tem visão econômica, não respeita as pessoas. Nenhum comerciante local vende mais para a prefeitura por falta de pagamento. Na minha rua são 10 comércios de portas fechadas porque o dinheiro não circula na cidade. O prefeito não honra seus compromissos com os fornecedores da cidade. Eu mesmo tinha um contrato de uma lancha e ficaram me devendo até hoje”, disse Antonio que é irmão do vereador Junior Andrade, vice-presidente da Câmara de BVR, que faz oposição ao prefeito, por esta razão, atribui a desarmonia.

   Na mesma situação, estão os contratados demitidos, Darcy Matos de Lima, 46 e Gecildo dos Santos que atuavam como vigilantes há quatro anos. Foram afastados no ano passado e procuraram a justiça para receber os direitos trabalhistas. Justificam que nunca tiraram férias, não recebiam adicionais noturnos e benefícios da categoria. Denunciaram ao Ministério Público e devem receber a indenização de R$ 7 mil com data prevista para o dia 11.

18 mil em aluguel

É o valor do débito da prefeitura de Boa Vista do Ramos com a agricultora Maria Auxiliadora Tavares de Castro, que alugou uma casa com cinco quartos da cidade para alojar os policiais que trabalham no município. São 18 meses de atraso do pagamento do aluguel do imóvel, mais R$ 2.496,63 da conta de energia e mais de R$ 200 da conta de água que nunca foram pagos pela prefeitura.
Segundo Auxiliadora, sua família tentou inúmeras vezes negociar, com o próprio prefeito Elmir Freedom, que chegou até a assinar contratos e notas de compromisso de faturamento da dívida, os quais nunca foram cumpridos. “A última vez que nos falamos, onde cobrei a dívida, ele mandou que a gente procurasse a justiça. Assim vamos fazer, nesta semana nosso procurador vai denunciar o fato ao Ministério Público e na Justiça Comum. Não podemos sobreviver com promessas e mentiras”, desabafou.
A redação do jornal Itacoatiara Em Pauta, tentou insistentemente contato pelo celular com o prefeito Elmir Lima, o Freedom, na noite de sexta-feira, 4 de fevereiro, dia do fechamento desta edição, mas o celular estava em caixa postal.

Fonte: Jornal Itacoatiara em pauta

Nenhum comentário